Andaluzia -Sevilha e Córdoba

Por Maria Cristina Horst, em Maio de 2013

SEVILHA

Capital da Comunidade Autônoma da Andaluzia, no Sul da Espanha. Situada nas margens do rio Guadalquivir, a 87 km do oceano Atlântico, possui o porto mais importante desta comunidade.

Nossa primeira parada em Sevilha foi na Plaza de Toros, pudemos parar bem próximo pois tinha área permitida de estacionamento para não moradores, pintadas no asfalto com a cor azul.

A Plaza de Toros de la Maestranza, em Sevilha, é uma das mais importantes do país, sinceramente, acho as Plazas de Toros lindas, as vestimentas e todas as histórias…mas,  nunca tive coragem de ir a uma tourada na Espanha. Já assisti a uma em Portugal, onde os touros não são mortos. Todo o ritual que envolve as touradas já são um espetáculo, e acho desnecessário ferir um animal. Não iria novamente a outra tourada.

dsc02643
Plaza de Toros de Sevilha

 

Como o centro de Sevilha deve ser descoberto a pé, e não é permitido ficar estacionado na mesma vaga por muito tempo, então procuramos um estacionamento. Achamos um muito bem localizado, na Calle San Pablo, junto ao  El Corte Inglés  (maravilhosa loja de departamentos espanhola; eu adoro especialmente a parte de gastronomia) e, pertinho do bairro Santa Cruz.

Outra loja, que acho muito interessante, descobri por acaso e me apaixonei, chama-se Maquedano, na Calle Sierpes 40, uma empresa fundada em 1896 que fabrica chapéus e arranjos de cabelo para festa que são lindíssimos. Esse é um tipo de souvenir que gosto de comprar, muito típico e que pode ser usado, trazendo as deliciosas lembranças de uma viagem.

maquedano - esquina
Foto retirada do site www. maquedano.com

Sevilha é uma cidade para caminhar e perder-se, literalmente, e nessas andanças descobre-se casas com pátios internos lindíssimos, restaurantes muito bons e de repente você encontra uma “atração turística”. Vale a pena passar um dia inteiro pelo bairro de Santa Cruz, onde antigamente vivia a comunidade judaica e muçulmana.

Restaurantes com ótimos tapas, presuntos e uma variedade sem fim de frutos do mar são encontrados em Santa Cruz. Escolhemos um e gostamos bastante, chamado Casa Robles, que inclusive era frequentado pelo Rei Juan Carlos, como deixava claro as fotos na parede. Luiz Ernesto fartou-se de comer ostras, carabinelos, lagostins, gambas e cigalas acompanhado de um fino, e eu, fiquei apenas com os lagostins e gambas e uma sangria, pois estava tentando descobrir onde tinha a melhor sangria da Espanha. Feito esse que ainda não consegui, pois sempre acho todas as sangrias ótimas!

sevilha-tapas

Uma lenda conta, que um antigo rei que ali morou achava que Sevilha era o lugar mais bonito do mundo, porém, sua esposa, achava que era Granada. Então o rei conversando com sua esposa lhe perguntou porque preferia Granada, se Sevilha tinha castelo, igreja e um clima invejável, não lhe faltava nada. Então a esposa respondeu: “em Granada neva”.
No outro dia, quem passava pelas ruas de Sevilha via dezenas de homens trabalhando. Eles plantavam pequenas mudas de laranjeira pela cidade. Um amigo do rei lhe perguntou: “O que o senhor está fazendo?”. Ele respondeu com um sorriso: “Espere até a primavera”. Na entrada da estação, as laranjeiras estavam cheias de lindas flores brancas que, alguns meses depois, se desprendiam dos galhos e caiam suavemente nas ruas de Sevilha, como caem os flocos de neve.

E assim é Sevilha, perfumada pelas laranjeiras e cheia de boas surpresas:

sevilha-giralda

 

Para lembrar do cheiro de Sevilha, nada como traze-lo em forma de perfume, as deliciosas aguas com flores de azahar (laranjeira):

 

Caminhando pela Juderia, encontramos uma portinha com uma plaquinha escrito Hammam. Era o endereço do banho árabe Aire de Sevilla.

Marcamos uma horário para irmos no dia seguinte. O Banho Termal com Aromaterapia custou 26 euros por pessoa.  Logo na entrada é colocado uma pulseirinha, como aquela de festas. Cada cor representa um tipo de pacote, e então os atendentes vêm chamar para os outros rituais. Embora seja misto, o lugar tem vestiários separados. Nós adoramos, tem piscina de agua salgada (amei!), agua quente, agua muito quente, agua gelada (fica caindo pedrinhas de gelo por um lugarzinho na parede), piscina com hidro, sauna e sala de descanso com chá à vontade. Em Sevilla, não fizemos o pacote com massagem, que pode ser com homem ou mulher, dependendo do horário e da terapia escolhida (convém perguntar quem esta no turno para não ter surpresas, embora sejam todos muito profissionais). É um programa muito legal para fazer em casal. O Hammam de Córdoba é da mesma rede, tem uma piscina com agua quente maior e as massagens são feitas em camas ao redor dela. Fomos de manhã e tinha apenas mais uma pessoa naquele horário, mas, a piscina de agua salgada de Sevilha me faz escolhê-lo como o melhor.

dsc02705

Foto retirada do site http://www.airedesevilla.com

A Catedral de Sevilha, com sua enorme torre Giralda, é uma das mais importantes da Espanha.  Erguida no século 12, foi originalmente uma das grandes mesquitas durante a ocupação moura até ser transformada em templo gótico após a reconquista espanhola.

Outro tesouro arquitetônico sevilhano é o Real Alcázar, complexo de palácios no estilo mudejar construído ao longo de mil anos. Os jardins, pátios, azulejos e trabalhos em madeira são lindíssimos.

Mudejar é um estilo artístico e arquitetônico para os cristão e que incorpora influências, elementos ou materiais de estilo hispano-muçulmano, tratando de um fenômeno autoctone e exclusivamente peninsular.

Residência ocasional da coroa espanhola, é o palácio real habitado mais antigo da Europa.

dsc02732

dsc02727

A Praça de Espanha de Sevilha é um conjunto arquitetônico dentro do Parque Maria Luisa, e um dos mais espetaculares espaços da arquitetura regionalista. Foi o projeto mais emblemático da Exposição Iberoamericana de 1929, projetada pelo arquiteto Aníbal Gonzalez.

A Praça tem quase 200 metros de diâmetro, com uma forma semicircular que simboliza o abraço de Espanha às suas antigas colônias e olha o Guadalquivir como caminho a seguir até a América. A sua superfície total é de 50.000 metros quadrados, dos quais apenas 19.000 estão edificados.

Os azulejos que decoram as paredes e piso são lindos e o parque é delicioso para passear!

dsc02660

 

 

CORDOBA

Entre toda a Europa, poucos lugares são tão ricos em cultura e história quanto a cidade de Córdoba é. Por ali já passaram romanos, árabes e os Reis Cristãos. Todos estes milênios e séculos de civilização tornaram-na uma preciosa confluência de arquitetura, das artes e expressões religiosas, tanto que a cidade recebe o nome de  “Cidade das Três Culturas“, pela presença de cristãos, judeus e muçulmanos.

Estávamos hospedados em frente a Puerta de Almodovar, e dali saímos explorar o casco antigo. Córdoba é muito gostosa para passear a pé, e garanto a vocês, é mais fácil de se localizar do que Sevilha.

dsc02799
Puerta de Almodovar

dsc02798

 

Caminhando pela Juderia pudemos descobrir pequenos museus como a Casa Andalusi, uma casa de morada típica.

http://3.bp.blogspot.com/-ZcJXnKixYgo/VMqktvFZADI/AAAAAAAAkUo/TekcdSt-5CQ/s1600/Casa%2BAndalusi%2BCordoba%2Bpatio..jpg

Casa de Sefarad, onde à noite assistimos a um show de Flamenco, embora eu prefira um show de Guitarra Clássica Espanhola.

Pátios internos

Restaurantes típicos como o Casa Mazal, onde pudemos apreciar uma comida judia,  falafel, berinjelas com mel e em especial o couscous de confit de pato.

Imagem relacionada

Casas de Chá, lá chamadas de Teterias, como a Teteria Argana:

E os grandes monumentos, como a Puente Romana, sobre o Rio Gudalquivir, que é a entrada sul da cidade.

dsc02821
Puente Romana
dsc02822
Puerta del Puente

A maravilhosa Mesquita Catedral de Córdoba:

Imagem relacionada
Foto retirada do site: http://www.planetware.com

A Calleja de las Flores, uma pequenina rua toda florida. Um encanto. Numa das fotos abaixo, dá para ver a torre da catedral ao fundo:

 

 

E a Plaza Tendillas que é o centro comercial de Córdoba:

 

 

COMO CHEGAR:

Nós chegamos a Sevilha, e fomos a Córdoba de carro, mas os trens espanhóis são uma ótima opção. As duas cidades são fáceis de locomoção para quem não esta de carro.

De trem:

De Madrid a Sevilha:  2:20 hs

de Madrid a Córdoba: 1:45 hs

de Sevilha a Córdoba: 0:45 hs

de Córdoba a Barcelona: 4:10 hs

ONDE FICAR:

Sevilha:

Ficamos hospedados um pouco longe do centro, pois encontramos um Hotel Hilton com uma tarifa muito boa, estava 67 euros a diária, e como estávamos de carro, não tivemos dificuldade para chegarmos ao centro, porém perdíamos muito tempo.Os ônibus da cidade também funcionam muito bem. Mas, eu ainda prefiro ficar no casco antigo das cidades. Bater pernas e voltar a pé para o Hotel.

Resultado de imagem para hilton garden sevilha

Hotel Hilton Garden

Córdoba:

Dessa vez, a localização do hotel foi ótima, no Paseo de la Vitória. Era só atravessar a rua e estávamos na Puerta de Almodovar.

Quando estivemos hospedados era AC Hotels Marriot, mas hoje esta sob a bandeira Eurostars. Uma construção muito moderna, com aço corten, muito vidro e inox. Pagamos 90 euros a diária.

Imagem relacionada

Eurostars Palace

QUANTO TEMPO:

No mínimo três noites em Sevilha e duas em Córdoba, para poder passear sem destino e ainda conhecer as principais atrações de cada cidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s